domingo, 3 de maio de 2009

Castidade


"Li há dias, num livro de mensagens o seguinte: Em uma faculdade de Medicina, certo professor propôs à classe a seguinte situação: 'Baseados na circunstãncia que vou enumerar, que conselho vocês diriam a esta senhora grávida do quinto filho? O marido sofre de sífilis e ela de tuberculose. Seu primeiro filhonasceu cego e o segundo morreu. O terceiro nasceu surdo. O quarto é tuberculoso e ela está pensando seriamente em abortar a quinta gravidez. Que caminho a aconselham tomar?

A maioria dos alunos concordou que o aborto seria a melhor saída para ela. O professor, então, disse aos alunos: 'os que disseram sim à idéia do aborto, saibam que acabam de matar o grande compositor Ludwing Van Beethoven".

São muitos os motivos que levam uma pessoa ao horror do aborto. Gostaria de salientar aqui um deles: a falta de castidade.

Sei que hoje, para muitos, esta palavra "cheira mofo". Tem sabor de Idade Média. E como vão me julgar os "prá frente" do século XXI? Eu sou mesmo do século passado!

A castidade é um valor que vai muito além do tempo. É um valor eterno, porque é um valor de Deus: "Não há peso para pesar o valor de uma alma casta" (Eclo 26,20). "Não cometerás adultperio. eu porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela no seu coração!. (Mt 5, 27-28).

Para os que não são capazes de ver sentido na castidade, eu diria: talvez você não vê também sentido no amor.

Num mundo totalmente voltado para o sensual, para o erótico, para o material, onde presenciamos verdadeiras aberrações no campo da sexualidade, não é fácil descobrir o valor da castidade.

Não é fácil, também descobrir, hoje em dia, o valor da honestidade, da sinceridade, da justiça, da moral, da ética, do bem, do amor. Não podemos deixar abater nem desvalorizar o que em si mesmo é valor.

Quando olho para meus "filhos de coração", louvo e agradeço a Deus por cada um. O que Deus já me deu de riqueza interior através deles... Alguns são sim frutos de um relacionamento desequilibrado, fugaz, complicado, até mesmo pecaminoso, mas estão vivos. São potenciais ambulantes. Mesmo com suas histórias dramáticas, neles está um ser humano, imagem e semelhança de Deus. Neles estão também sementes de grandes homens.

Os heróis de hoje, os santos, os descobridores de vacinas poderosas foram sementes e ninguém viu neles, quando criança, o tamanho da sua importância futura. Quantos "beethovens"!

Na cidade de São Paulo o Governo Estadual está realizando um trabalho gigantesco para despoluir o Rio Tietê e banir o mal das enchentes. Creio poder usar este projeto como símbolo para aquilo que eu gostaria de dizer a respeito da castidade como fator eeeeeeimportante no combate ao aborto: "O aborto polui a sociedade. Afoga o ser humanos nas enchentes do animal e do mosntruoso. È urgente um trabalhoee para conter essa corrente poluidora. Mãos à obra! Que se faça a castidade!"


Padre Antonio Maria

2 comentários:

Jhonatha disse...

É... então, né?!?!?! Assunto complexo!!!
Como é difícil para um Jovem Cristão falar daquela que nos faz irmãos dos anjos – espíritos puros e vitoriosos... (se me permite, Ir. Kelly Patrícia...)
Ser casto é mais que manter-se sem prazeres sexuais... é aproximar-se da graça de viver o céu na terra, de ir ao extremo do amor pelo Pai... de dizer NÃO aos apelos da sociedade moderna... de seguir os preceitos de Deus, renovados em cada aliança que ele fez, faz e fará com a humanidade.
Contudo, é possível manter-se tão nulo perante à sociedade moderna? Podemos, enquanto homens e mulheres, que tem sentimentos e desejos, controlar tão racionalmente nossos instintos? É possível ser casto em pensamentos, palavras e atos? Seria apenas instinto humano, ou confusão de um sentimento que funde o espiritual e o carnal numa coisa só?...
É caro irmão... ser cristão não é uma tarefa fácil... nem simples... mas a recompensa vale a pena... vale a pena ser um diferente aos olhos do mundo para ser normal aos olhos de Deus...
De fato, não me sinto muito “confortável” falando de castidade... e acho que não é só eu... rsrsrsr... Prefiro neste comentário manter-me neutro, sem colocar-me contra nem a favor pois não gosto de dizer e afirmar o que nem sempre vivo...
Mas a Castidade é uma virtude, uma graça, que apesar de difícil é possível... Mais eficiente que qualquer outra ferramenta contraceptiva ou pra evitar as doenças sexualmente transmissíveis... e perceba, caro irmão, Deus conhecia tanto o mundo que antes que o pecado entrasse na vida de Adão e Eva, já havia criado a Castidade... já havia sugerido para que fôssemos castos... Ela, divina por concepção, é a nossa maior arma para seguindo às leis de Deus, nos prevenir dos problemas da sociedade moderna.

A castidade me torna Irmã dos Anjos, estes espíritos puros, vitoriosos a valer
Espero um dia voar em suas falanges. Mas no exílio com eles devo combater
Sem repouso, sem tréguas, devo lutar. Por meu Esposo, o Senhor das nações,
A castidade é minha espada singular, que pode lhe conquistar os corações.
A castidade é minha arma invencível. Por ela meus inimigos abaterei.
Por ela eu me torno, oh felicidade, invencível, esposa de Jesus, Meu Rei.

Marcus Vinicius Feichas disse...

Olá amigos,

Assunto complexo sim, sem dúvida, como afirmou o amigo Jhonatha. Mas, mais do que complexo, eu diria que é humano. Não há nada mais humano que a castidade e explico a seguir.

Qual é a grande diferença entre os humanos e os animais da terra? Uns diriam a alma, outros, a inteligência. Pois bem, existe algo mais primitivo que a prática sexual pela simples liberação do prazer carnal e passageiro? Se pudéssemos conversar com um cachorro, um leão, um gato, e perguntássemos a eles como vivem a castidade, certamente nos diriam que é impossível. Eles sentem o "instinto" e aliviam com a prática. Assim como sentem sede, sentem fome e buscam o alimento. Ora, nada mais justo ou natural. Algo perfeitamente aceitável a nós pois são animais e sentem a atração cíclica pela fêmea que, por sua vez, também atraí o macho com os reflexos fisiológicos de seu corpo.
Mas se nós, nos diferenciamos por possuir inteligência, capacidade de negar-se, de opor-se a um "instinto", porque não conseguimos? Por que é uma aberração aos olhos do mundo negar-se a algo que, para o seu próprio bem-estar, não será frutífero?
A castidade somente pode ser vivida pelo uso da razão, uso da capacidade intelectual que nos foi proporcionada. Eu não exigiria de um tigre que fosse casto. Nem poderia. Mas um ser humano, eu posso pedir que tente. Sim, que tente. Não conseguiu? Tente de novo. Novamente, e assim, alimente-se da vitória de hoje para construir uma arsenal de ferramentas para vencer as batalhas que virão no futuro.

Se estendermos a castidade para um plano mais amplo, que não se restrinja ao espectro sexual, então estaremos sendo ainda mais humanos. Pois ser casto na vida, expulsando de seu cotidiano tudo aquilo que lhe provocará malefícios, exigirá extrema capacidade de reflexão e dela, extrair perserança.

E isto é "semear" (Bruno, compreendi o recado...), pois semea-se hoje os frutos do amanhã. Se hoje semeamos o aborto, perderemos amanhã o potencial descobridor da cura para a AIDS. Se hoje eliminamos o ser que está ali, alojado no ventre quente de uma mãe que pode ou não dar a possibilidade de passear pelos palcos da existência, poderemos estraçalhar inúmeras fontes de riquezas. E não me refiro a riqueza material, mas a riqueza do complexo universo humano, que engloba sentimentos como caridade, amor, paixão, fraternidade, amizade.

Hitler, já tentou criar um "filtro humano" e praticou abortos de vidas que não estavam em ventres. O que restou disso? Uma das maiores mazelas da história da humanidade.

Vamos refletir um pouco mais sobre os valores da vida, não da morte. Se um dia, você puder olhar para si mesmo e reconhecer-se valoroso, saberá ver o valor dos que ainda estão por vir...

Related Posts with Thumbnails