segunda-feira, 12 de julho de 2010

"não conhecemos o alcance disso".

Essa frase foi dita pelo jogador espanhol Andres Iniesta, autor do gol que deu a vitória a Espanha no mundial de futebol de 2010, na África do sul. A taça, 5 vezes levantada pelos brasileiros, foi entregue no dia de ontem aos espanhóis.
De fato, essa copa, me surpreendeu no sentido de unidade dos povos. É cada vez mais distante o pensamento racista e separatista entre muitos dos cidadãos do mundo moderno. É sim, claramente evidenciado o caráter econômico, cultural, etc... mas a pacificação é muito evidenciada. Negros, mulatos, pardos, branco, amarelos, todos as raças, nações e línguas direcionados para um único propósito.
Uma Copa bem rica de significados e nomes e de estrelas desconhecidas. Iniesta, que para mim desde o início já o considerava um dos melhores, e nomes bem diversos como os dos gregos, Papadopoulos, Papastathopoulos, e os da língua espanhola, David Villa, Piqué. O alemão Miroslav e seu companhieiro Podolski. O uruguaio Forlan(melhor da copa). E o inglês? Sneijder. E por ai tantos outros, estrelas ou não, brilharam com muita garra e determinação.
Defesas belíssimas demonstraram a força de disposição de tantos, como as dos goleiros Casillas e do brasileiro Júlio César.
Jabulani para quê te quero?! A atração principal e temida bola, rolou pela última vez ontem dando a Espanha seu primeiro título, juntando-a as máximas seleções do mundo, tornando-a a mais feliz e melhor seleção dos próximos quatro anos.
Empenho, força, coragem, levaram a FÚRIA, como é conhecida a seleção espanhola, ao topo do pódio em Joanesburgo, e saudade nos deixa agora, todo esse evento. As belíssimas transmissões, as paradinhas das câmeras, a precisão dos jogadores, os vôos da Jabulani, os gritos de gol, cessaram por um tempo no mundial, mas as suas riquezas não serão esquecidas. Mandela, Jabulani, Porto Príncipe, Cidade do Cabo, África, a Mama África, de onde nossos antepassados vieram de modo escravo, hoje se despede do mundo, com uma bela atitude de receptividade, companheirismo e respeito pelos povos. Atitudes humanas ricas de significados.
Uma bola, uma taça, um povo, nações e uma infinidade de diferenças e igualdades.
Máximas de um povo, máximas de guerreiros...

Parabéns a Espanha, aos seus jogadores. Um marco na história, que de fato não se sabe ainda o alcance disso tudo. E que venha o Brasil, que venha a Copa de 2014!

Viva a Fúria!
Ah, e não se esqueça das Vuvuzelas....



Iniesta, autor do Gol que deu o Título à Fúria (google)

Casillas - Goleiro Espanhol (google)

Momento de Glória para Seleção (Foto FIFA)
O capitão Casillas, exibe troféu após chegar no aeroporto de Madrid(foto: Reuters)

Temida Jabulani (foto: google)


4 comentários:

rafa disse...

rsrs...que venha 2014 sem dunga!
huashuas

rafa disse...

rsrs...que venha 2014 sem dunga!
huashuas

Flor de Lys disse...

Meu irmão tava me falando que a bola da final é a Jobullani...
E, pasme, não é por causa do Jô (kkk), mas como um trocadilho com a cidade sede: Joanesburgo.

E isso é fato!
rsrs

Bjos.

Serginho disse...

Jobullani? uai "EÇA de QUEIROS", essa, eu não sabia não!!

mas achei muito boa a idéia de batizar as bolas!

Related Posts with Thumbnails